segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Sidney Miller - Sidney Miller


"... Só quero lhe dizer com toda honestidade, que só faz um verso de verdade, quem tiver verdades pra dizer...”.
Essa é apenas parte da refinadíssima letra de "Argumento", samba de Sidney Miller lançado no álbum homônimo em 1967. Sidney na minha opinião e na de quem conhece é um dos compositores mais elegantes da nossa música e que deveria ser redescoberto (pra isso tem a gente aqui né? rsrsrsrs). Talvez as obras mais conhecidas dele sejam: "A estrada e o violeiro", defendida por Nara e Sidney no festival da Record de 1967 ganhando o premio de melhor letra (que coisa linda, até isso tinha nessa época), "O Circo", que se bem me recordo foi trilha do filme "Os Saltimbancos Trapalhões" e fez parte da infância de toda uma geração, ambas as músicas estão nesse disco aí, e de uns tempos pra cá a música dele que fez um certo sucesso foi "É isso aí", regravada por Paula Lima e "Alô Fevereiro", na voz da maravilhosa Roberta Sá.
Bom... Sidney Miller gravou apenas três álbuns, esse em 1967, em 1968 ele gravou "Do Guarani ao Guaraná", um espécie de resposta ao Tropicalismo (que postarei na seqüência) e em 1974 o "Línguas de Fogo", que a meu ver nem parece ser da mesma pessoa, totalmente outra proposta, não me agrada muito. Além das músicas que ele mesmo gravou existem várias outras gravadas por Paulinho da Viola, Nara Leão, Doris Monteiro entre outras feras do meio. Junto com as músicas eu coloquei um arquivinho com as letras, ele realmente tinha muitas verdades pra dizer... Meu primeiro contato com Sidney foi através do samba "Maria Joana", gravado no primeiro disco de Caetano e Gal "Domingo", depois veio a "Estrada e o Violeiro", e a sede começou a aumentar, tive que correr atrás de tudo que o cara tinha feito, viciei e agora to passando a bola pra vocês, sem largar a minha é claro! Hahahaha
Aproveitem ao máximo, esgotem esse disco que vale muuuito a pena, na seqüência vem mais...
"...Se a dor é tanta, Vem comigo, conta e canta, Que tristeza lhe amedronta? Que paixão te desencanta? Põe teu copo em minha mesa, Deixa a dor por minha conta, Que teu pranto com certeza, nunca mais há de voltar..."

Para Baixar e Sair Sacundindo:  Sidney Miller - 1967 - Sidney Miller


Para Saber Mais: Biografia Sidney Miller, Mais Outra e um texto


Para Assistir e Sair Sacundindo: A Estrada e o Violeiro


Postado Por Marcel Cruz

3 comentários:

Eduardo disse...

Caro Marcel, muito bom saber que existem outros admiradores do Sidney Miller com menos de 40 anos no mundo. Creio, no entanto, que a canção "O Circo" não faz parte do filme "Os Saltimbancos Trapalhões" (nem tampouco da peça "Os Saltimbancos"). Foi gravada, porém, em outras obras - em um filme infantil dos anos 80 de que não lembro o nome (não é os saltimbancos) e em um EP de uma série de disquinhos de histórias infantis, na mesma década.

Marcel Cruz disse...

Puxa vida Eduardo, Obrigado pela informação. Eu tenho uma vaga lembrança dessa música como trilha de algum filme dos Trapalhões, pensei que fosse o citado, vc saberia me dizer qual é ou eu realmente to fazendo associações inexistentes e criando coisas? rsrs
Desde já meu muitíssimo obrigado, valeu pelo toque!!!

Abração se cuida até...


Marcel Cruz

Anônimo disse...

Caros Marcel e Eduardo,
A tocante canção "O Circo", do Sidney Miller, foi o tema de uma novela de 1977 da rede Globo, "A Sombra dos Laranjais", estrelada e dirigida por Herval Rossano. Tinha um circo na cidadezinha onde se passava a história e por isso a inclusão da música do Sidney. A atriz e cantora Marília Barbosa cantava a música que era o tema da novela. Cantou bem mas nada comparado com as versões da Nara Leão ou do próprio Sidney. Tres anos depois, Sidney Miller morria no Rio de Janeiro, em condições meio nebulosas. Na época, por ele andar deprimido, se falou em suicídio com gás (como fez Torquato Neto em 72) mas nunca se teve uma nota oficial sobre esta possibilidade. Ele só tinha 35 anos de idade mas já tinha construído uma obra magnífica. E eu vou tomar a liberdade de citar :"Morre o circo (Sidney), renasce na lembrança, foi-se embora e eu ainda era criança".
Parabéns Marcel por este ótimo blog e muito obrigado por tudo.
Cássio.