domingo, 13 de junho de 2010

Daniel Salinas - Atlantis

Há algum tempo eu mencionei aqui uma coletânea de Soul e Funk lançada pela Charly Records e falei que através dela conheci vários artistas geniais. Falei de Marlena Shaw, Rotary Connection e Terry Callier. Mas dentro do repertório que o álbum me apresentou ficou faltando um som que realmente me pegou e que acabei deixando passar batido, agora venho me reparar de tal falha. Estou falando do genial Daniel Salinas.

Salinas foi um dos importantes arranjadores da turma da Jovem Guarda, e mesmo tendo assinado vários trabalhos, pouquíssimo se sabe a seu respeito. A conclusão a que cheguei com base nas pesquisas que fiz, foi a de que existe uma grande possibilidade de Daniel Salinas ser um codinome usado por Sergio Sá, que na época também usava o de "Paul Bryan", fato que justifica a presença de 5 musicas assinadas por Sá num álbum que possui 7 faixas.

Outro fato que me leva a crer nessa suposição é uma entrevista que Ronnie Von, que era o entrevistador na ocasião, da uma 'rasgada de seda' falando que Sergio era o arranjador mais disputado pela galera da Jovem Guarda. Se isso realmente procede, fazendo uma busca nas fichas técnicas de vários álbuns da Jovem Guarda, o nome que figura é o de Daniel Salinas, como Sergio Sá encontrei poucos e tudo já na década de 80.

Outro ponto que ajuda na suspeita é de que ambos são pianistas, arranjadores, regentes e inclusive assinam a autoria de algumas composições como parceiros. Porém, nessa minha procura me deparei com um outro álbum de Salinas lançado um ano antes deste aqui e que segue uma linha totalmente distinta. O álbum se chama "Paz, Amor e... Samba", muito bom por sinal, e mais, não lembro agora mas também encontrei um disco em que consta o nome de ambos como arranjadores, se são a mesma pessoa isso soa um tanto estranho, resumindo, tudo o que encontrei me mostra apenas possibilidades bastante suspeitas, nada que se possa afirmar com relação a identidade real de Daniel Salinas.

Bom, mas independente dessa incógnita, o que temos aqui é uma obra prima, um álbum lançado em 1973/74 composto por sete faixas das quais duas são re-leituras e as outras cinco são temas originais.

O lado A do álbum abre com "Like A Rainy Night" de Paul Bryan (Sergio Sá). Já nessa primeira faixa vemos a maestria com que Salinas pensa seus arranjos, tudo muito bem equilibrado e com uma alquimia timbrística perfeita. Fiquem atentos para os solos do Trompete, Flauta e do Piano Rhodes tocado por Sergio Sá, excelentes!!! A canção seguinte é "No Broken Heart", também de Paul Bryan, nessa figuram também na autoria os nomes D.Edwards e M.Davis, o tema é bem meloso mas depois da vigésima ouvida você começa a achá-lo bacana rsrs. Os dois temas seguintes são as 'cerejas do bolo', "Baião" de Sergio Sá e Daniel Salinas carrega o nordeste em si, mais uma vez Sergio Sá da uma esmirilhada com seu solo de Piano Rhodes que complementado com as cordas, os metais, a flauta e a percussão deixa qualquer ouvinte com vontade de ouvi-lá mais e mais.

Mas de todas as faixas contidas no álbum a quarta faixa do volume, e última faixa do Lado A do LP, é sem dúvida alguma a mais fooooda. Salinas e Sergio Sá, a exemplo de Eumir Deodato, também quiseram 'brincar' com a obra de Richard Strauss e compuseram um tema original tendo como base a introdução de 'Assim Falou Zaratustra'. O resultado ficou incrível e lembra muito trilha de filme policial, para reforçar a homenagem nomearam a composição como "Straussmania". Vale chamar a atenção para a batera de Norival, para o Baixo de Willy e para a guitarra de Aristeu, espetaculares!!!

O Lado B do Lp é meio breguinha, mas mesmo assim fenomenal! rsrs. A primeira faixa é uma releitura de "Bridge Over Troubled Water", do Norte-americano Paul Simon, os solos e improvisos de Sergio Sá e do guita Aristeu são excelentes! A faixa seguinte é mais uma composição de Paul Bryan: "A Song For A Helping Hand", Salinas optou por inserir no final dela um coro que canta parte da letra, ou seja, é a única faixa que tem vocal. Finalizando o volume e fechando o Lado B temos a faixa título "Atlantis", composição de Donovan, música que fez bastante sucesso no final da década de 60. Nela mais uma vez Aristeu, 'o homem da guitarra', rouba a cena e faz bonito encerrando assim um dos melhores álbuns brasileiros lançado no início da década de 70. É isso aí! Espero que gostem!

PS* Quando estava terminando esse texto encontrei outra informação a respeito de Daniel Salinas. Em 1976 e 1977 ele gravou dois álbuns como Alice Street Gang, uma parada totalmente disco. Aqui tem um video com uma das faixas : Alice Street Gang . Fiquei curioso para ouvir o resto, tem até o hino do Corinthians no repertório, rsrsrs. Fui!



Para Baixar e Sair Sacundindo: Daniel Salinas - 1973/74 - Atlantis




Para Assistir e Sacundir: Straussmania - Baião


Postado Por Marcel Cruz

6 comentários:

beatnik disse...

Aproveitando a postagem funk, e por continuar com propostas nesta linha, permítome sugerir algum disco do Paulo Diniz. Achei estranho que nao tivera postado nemun até agora...
Pode acesar vários na rede, mais tem muita discografia perdida (Estradas, do 76, Lugar Comúm, do 73...). Se aceitar, pode empezar por Quero Voltar Pra Bahia, por dizer só mais um.

Marcel Cruz disse...

Oi Beatnik, massa? Valeu pelo comentário é sempre bom recebe-los.

então, com relação ao Paulo Diniz vou ficar devendo, não gosto dele não, rsrsrs, tem umas composições legais até, mas aquela voz rasgada acho insuportável, rsrsrs. De qualquer forma continuo aberto a sugestões e indicações, abração meu querido!!!

Marcel Cruz

beatnik disse...

É que, voçé sabe, Marcel? eu sou estranho. Com dizer que me prace o jeito de cantar do Tom Jobim no Matita Perê... Precisamente da voce que eu gosto é da voce um algo estropalhosa, dura. (Jamais gostei da do Joao Gilberto). Paulo Diniz tem uma voce bem poderosa, penso eu. "Quero Voltar Pra Bahia" é unha bomba soul do melhorinho da musica brasileira.
Blog muito legal, asim e todo. Siga por ese caminho.

Digo disse...

Eu tava há HORAS atrás disso aqui!!
Eu adoro conhecer coisa nova pelo site do Ed Motta, e lá ouvi Straussmania e me apaixonei. Só aqui mesmo pra encontrar o disco completo. Muito bom!
Daonde tu tirou isso?!? heheheh
Abraço!!

Marcel Cruz disse...

Valeu pelos coments Digão!!! Muito bom receber esse feedback dos leitores. Com relação a origem do álbum, esse eu tenho em vinil rsrs. Abração meu caro!!!
.
Marcel Cruz

Mychel disse...

Obrigado Marcel! Valeu pelo resgate de Daniel Salinas, e por dividir tal pérola.
Um abraço.