sábado, 29 de maio de 2010

Rogério Duprat, Gilberto Gil e Capinam - Brasil Ano 2000

Antes de começar o texto sobre o álbum quero deixar aqui meus sinceros agradecimentos ao especialíssimo Chico Arruda que ao saber que eu estava a procura deste álbum entrou em contato e teve a bondade de me enviar uma cópia dessa obra que até então estava perdida no tempo. Valeu mesmo Chico, essa postagem dedico a você!

Agora vamos ao disco:

O elo perdido! A lacuna que existia na discografia tropicalista acaba de ser preenchida!!! "Brasil Ano 2000", é a trilha do filme homônimo lançado em 1969. Os responsáveis pela trilha fazem parte da cúpula tropicalista. Gil, Capinam, Duprat e Caetano Veloso assinam as composições contidas no filme.

20 faixas das quais três são de Gil e Capinam, uma de Caetano Veloso e as 16 restantes levam a assinatura de Duprat. O tempo total do LP dura cerca de 32 minutos e carrega momentos memoráveis. De começo temos Gal Costa interpretando a excelente "Canção Da Moça", de Gil e Capinam, na ficha técnica não diz quem é o violonista que a acompanha, mas tenho quase certeza de que é o proprio Gil que o faz. Seguindo temos duas vinhetas de Duprat e outra canção de Gil e Capinam "Homen de Neandertal", interpretada por Gal e Bruno Ferreira. Mais uma vinheta e caimos no tema chamado "Retreta", tema que caberia em qualquer filme de Fellini sem destoar em nada, Duprat compôs um dobrado que deixaria Nino Rota morrendo de inveja (ah! Se Fellini tivesse ouvido isso! rsrs). Na sequência temos mais 5 vinhetas de tamanhos variáveis e que entre as quais Duprat desfolha citações de Felix Mendelssohn e de G. Rossini e são com elas que finaliza o Lado A do LP.

O Lado B abre com "Show de Me Esqueci", uma espécie de síntese do filme interpretada por Gal , Ênio Golçalves e Bruno Ferreira, nela estão praticamente quase todas as melodias que permeam o filme. O que segue é a composição "Coração", aqui Duprat re-utilizou a base do arranjo orquestral de "Coração Materno" gravado um ano antes para o LP "Tropicália ou Panis Et Circenses" e substituiu o vocal de Caetano Veloso por um solo de clarinete fazendo outra melodia, creio, sem dúvida alguma, que Duprat fez uso dos tapes de "Coração Materno" para o seu 'novo' "Coração" como uma espécie de play back, é curioso ouví-las uma seguida da outra.

Mais quatro vinhetas seguem na continuidade do álbum, duas merecem ser comentadas: "Duelo De Garfo e Faca", me arremete aos experimentos de Walter Smetak com suas propositais desafinações e diálogo entre os instrumentos e "Relógio Do Tempo", que devido a instrumentação escolhida é o tema mais singelo do álbum, impossível não gostar. Mais duas e concluímos o repertório do disco: "Escolha Da Liberdade", novamente Duprat revisita os temas que aparecem no filme e cria nova melodia que vai servir de ponte para o último tema do álbum. "Não Identificado", composição de Caetano Veloso que foi escolhida como canção adicional e que encaixou perfeitamente, não poderia ter sido melhor a escolha. Mais uma vez Gal deixa seu recado concluindo o volume de maneira magistral.

"...Vou andando, vou sonhando, vou sorrindo, seu sorriso sonho antigo em minha dor..."






Para Saber Mais: O Filme


Postado Por Marcel Cruz

9 comentários:

vmourao disse...

Obrigado!!!!

Bizu disse...

faz muuuuuuito tempo que procuro ouvir isso... hoje vou finalmente conhecer. Ainda nao posso gastar 1.800 reais comprando um disco no mercado livre que nunca ouvi... mesmo que tivesse 1.800.. hahah.. outra sugestao.. sabes onde encontrar o album Psilocibina?

malg disse...

mas que belo blog, marcel!
ta de parabéns, virei fã!
cheguei aqui pelo captain crawl procurando um disco do marcos valle
acabei de baixar, qualidade perfeita

obrigada!!!

Leo disse...

Parabéns pelo blog, Marcel! São pessoas como vc q fazem a música brasileira se expandir aos diversos cantos do mundo (internos, também!) pela internet.
Kra...ouvindo esse disco, tem um chiado bem agudo de fundo...chega a irritabilidade. Será q foi na hora de passar pra digital ou seria proposital?!
um abraço!

Marcel Cruz disse...

Oi Leo, tudo bem contigo? Pois é essa freqüência aguda que tem na gravação é realmente de foder, o pior é que eu recebi esse material dessa maneira, provavelmente na hora que copiaram do vinil não identificaram e acabou ficando assim, tentei amenizar aqui mas não rolou, esse agudo está presente em todas as faixas de freqüências, inclusive esse fato me fez cogitar em não disponibilizar o arquivo, mas acabei desistindo da idéia e aí está. É o que temos, o jeito é ficar na espera de outro que tenha e faça a bondade de disponibilizar, ou alguém que entenda de áudio pacas e arrume pra gente. Bom fica aí a sugestão.

Abração e valeu pelo coment!!! E vamo que vamo!!!!

Marcel Cruz

Anônimo disse...

O meu Sacundin-mentário não vai para uma reclamação de disco arranhado,nem mesmo comentar de um unico disco mas sim para um agradecimento, pela possibilidade que vc nos proporcionou de resgatar e ouvir, sem duvida, estas obras de arte e perolas da MPB. Sem contar os comentários técnicos esculpidos nos textos (uma aula a parte) que mesmo para alguns leigos o fascínio e o prazer de ouvi-las é de imediato.
Não falarei de "copyright", "falta de ética", "politicamente correto" e outras coisas desse tipo aqui, pois acho falta de bom senso já que é fato, são obras quase inexistentes e algumas até perdidas no tempo, portanto finalizo muito grato pelos post e parabenizo pelo bom trabalho que eu tenho certeza que te da prazer e a nós muito mais.

Um Abração! Claudio Carmo

Bucky disse...

Muito, muito obrigado.

Bucky disse...

Muito Obrigado, este realmente é muito raro.

Anônimo disse...

Amazing - Thank you!